Projeto do IDESF com a PM alia formação profissional e segurança pública

0
128

Segurança pública e cidadania caminham lado a lado. O projeto Oficina-Escola do 14° Batalhão de Polícia Militar – 14º BPM, idealizado em conjunto com o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras – IDESF, pretende aumentar a disponibilidade de viaturas para o serviço policial em Foz do Iguaçu e nas cidades da região e ainda promover a formação profissional de adolescentes e jovens em vulnerabilidade ou risco social. A proposta foi apresentada ao Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

A Oficina-Escola deverá ser edificada no quartel do 14° BPM e ser dotada de modernos recursos de aprendizagem e operação. Adolescentes e jovens serão instruídos em mecânica básica e receberão reforço escolar, disciplina e valores, que lhes possibilite inserção no mercado de trabalho. Um diferencial é que as centenas de aulas práticas ocorrerá a manutenção das viaturas policiais, gerando-se economia para o contribuinte.

Pesquisa de mercado subsidiou o projeto, de forma que vários dos principais empresários do ramo em Foz demonstraram interesse em acompanhar a formação e contratar esses jovens. É uma manifestação de confiança no trabalho da Polícia Militar e uma evidente necessidade do mercado, afirma o gerente PM do projeto.

O projeto Oficina-Escola poderá reduzir a indisponibilidade de frota – viaturas paradas aguardando manutenção mecânica – do atual percentual de 45% para 15%, o que significa maior capacidade operacional para o 14º BPM, que atende Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Medianeira, Serranópolis, Missal e Itaipulândia. Todavia, não só a frota do 14º BPM deverá ser beneficiada. Haverá capacidade para realizar parte da manutenção preventiva de outras unidades da PM e demais órgãos policiais, consolidando-se ainda mais a integração que característica em Foz.

Chefe da Seção de Logística e gerente de projetos do 14° BPM, o Capitão Edson Dal Pozzo é o Oficial designado pelo Comando do 14º BPM para, junto com o IDESF, viabilizar esse inovador e ousado empreendimento. “O projeto captura sinergias para a Segurança Pública no curto, médio e longo prazos, é Polícia Comunitária em sua essência, uma vez que atua nas causas da criminalidade e violência”, afirma o capitão. “Estabeleceremos, junto com os apoiadores do projeto, ferrenha concorrência ao crime organizado, disputando o jovem para que siga o caminho do bem”, conclui o oficial.

O outro objetivo do projeto, aponta Dal Pozzo, é garantir mais viaturas policias nas ruas. “A disponibilidade de frota é decisiva para a segurança pública. A deterioração dos veículos policiais é muito rápida e o custo do conserto é alto, pago pelo contribuinte”, enfatiza. “A Oficina-Escola contribuirá para a manutenção preventiva, melhorando as condições para nossos policiais atenderem a população”, pontua o capitão.

Aberto a parcerias
Presidente do Comtur, Carlos Silva diz que o projeto vem de encontro com as necessidades de Foz do Iguaçu. “Essa proposta vai ter muito eco na sociedade. Além de ter a preocupação social, por ser voltada para a formação profissional de jovens, essa ideia vai melhorar muito a segurança, serviço público que está diretamente vinculado ao turismo, a principal fonte econômica da nossa cidade.”

Conforme o Capitão Edson Dal Pozzo, para ser implantado já a partir do início do próximo ano, o projeto, que tem o aval do Juizado da Infância e da Juventude, Ministério Público do Trabalho e da Justiça Federal, necessita de parcerias e apoio.

Projeto pioneiro baseado na experiência
A Oficina-Escola é uma proposta pioneira no Paraná, mas nasce de uma experiência na área social mantida pelo 14° BPM em parceria com a Justiça Federal: o Projeto Horta Solidária, que hoje emprega mais de cem prestadores de serviço à comunidade e disponibiliza produção hortifruti gratuita para dezenas de entidades.

Já em seu primeiro ano, o projeto obteve o segundo lugar no Concurso AJUFE (Associação dos Juízes Federais do Brasil) de Boas Práticas de Gestão. “Os alimentos complementam, de forma saudável e nutritiva, 10 mil refeições semanais nas entidades iguauenses”, expõe. “Essa expertise em projetos sociais deverá balizar o Projeto Oficina-Escola e atrair investidores”, finaliza o capitão da PM.

Legenda foto: Parceiros do projeto: diretoras do IDESF, Djéssica Martins e Vanessa Miranda; representantes da PM, Mj. Adelar Davies, Cap. Edson Dal Pozzo, sd. Daiana Aparecida Canopra Amaral;  e o juiz da Justiça Federal, Matheus Gaspar.

Fonte:

Texto: PM e Comunicação Comtur (Conselho Municipal de Turismo)

Foto: IDESF

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome