Obras de novas pontes que ligarão BR e PY avançam. Fronteira com a Argentina também ganhará outra estrutura

0
1431

A construção da Ponte Bioceânica, que unirá as cidades de Porto Murtinho (Mato Grosso do Sul – Brasil) a Carmelo Peralta (Alto Paraguai – Paraguai), está com status de execução de 12%. Segundo o Ministério de Obras Públicas do país vizinho, do lado paraguaio, um total de 113 estacas, juntamente com a concretagem de outras 12 estruturas que compõem a base da ponte, já estão concluídas. Do lado brasileiro, nas próximas semanas será iniciada a construção das primeiras estruturas. Por enquanto, ocorre a instalação dos acampamentos e armazéns de apoio. A obra é financiada pela Itaipu Binacional. A ponte começou a ser construída em novembro de 2022 e tem previsão de término em dezembro de 2024 e é uma das estruturas que poderá viabilizar a chamada Rota Bioceânica, cuja expectativa é de redução no tempo de viagem das exportações e importações de parte do Brasil e Paraguai principalmente para os mercados da Ásia, Oceania e costa oeste dos Estados Unidos.
No Paraná, outra ponte que ligará o Brasil ao Paraguai, entre as cidades de Foz do Iguaçu e Presidente Franco, está com a obra praticamente completa. Segundo informações da Agência de Notícias do Estado, a estrutura está concluída, apenas recebendo ajustes finais.
No Rio Grande do Sul, três estruturas em regiões de fronteira estão na pauta da declaração conjunta assinada durante o encontro entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Alberto Fernández, na semana passada, na Argentina. De acordo com a pauta número 37 da declaração: “Salientaram a importância de definir o futuro regime de gestão e manutenção da Ponte São Borja – Santo Tomé e do seu Centro Unificado de Fronteira e Infraestruturas Conexas, antes do final da atual concessão, em agosto de 2023, dada a importância da referida ponte e de sua área de controle integrado para o intercâmbio comercial dos dois países, mantendo-se o alto padrão que a administração do centro possui atualmente, com tempos expeditos que o tornam uma opção eficiente para o transporte de cargas. Coincidiram em coordenar conjuntamente todas as ações necessárias para avançar na construção da Ponte Porto Xavier-San Javier. Determinaram, também, que os respectivos governos tomarão as medidas necessárias para a revitalização e a manutenção regular da ponte Uruguaiana-Paso de los Libres”.
O contrato para a execução da obra da Ponte Porto Xavier-San Javier já foi assinado e a estrutura está em fase de encaminhamento de licenças ambientais, adequações de projeto e processos relacionados a desapropriações.

Luciano Stremel Barros, Presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), comentou sobre os desdobramentos trazidos por estes corredores logísticos. “São extremamente importantes para o desenvolvimento das regiões, e a América do Sul será muito beneficiada do ponto de vista comercial. Só precisamos ficar atentos para estender o olhar do ponto de vista das cooperações comerciais e também dar atenção à securitização dessas rotas para que o crime organizado não se aproprie dessas estruturas”.

Ao longo dos seus mais de 16 mil km de extensão em fronteiras, o Brasil tem 33 cidades gêmeas e, destas, 14 são interligadas por pontes.

O IDESF já publicou

As fronteiras do Brasil e as pontes como mecanismo de integração

Novas infraestruturas ajudarão a viabilizar a Rota Bioceânica

Ponte Internacional Porto Xavier-San Javier mais próxima de se tornar realidade

Concessão da Ponte Internacional São Borja – Santo Tomé será prorrogada por mais um ano

Novas infraestruturas nas fronteiras e a demanda por servidores públicos

Foto da capa: Ministério de Obras Públicas do Paraguai.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome