Gestão e Planejamento Estratégico de Fronteiras

0
327

Em agosto de 2013 quando iniciamos as atividades do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), propomos a criação de um espaço para discussão sobre fronteiras em todos os seus aspectos.
Nesta esteira temos em vigor três projetos que sustentam a existência do instituto. O primeiro deles é a publicação de estudos e diagnósticos econômicos setoriais, onde dimensionamos as perdas econômicas e sociais que os diversos setores da economia acumulam com os crimes de contrabando. O segundo pilar são as publicações de artigos científicos e livros através da Editora IDESF, onde anualmente editamos, organizamos e publicamos uma série de livros que tratam dos temas fronteiriços, destaque especial para
o título (Re) Definições das Fronteiras, que está em fase de organização de sua quarta edição. Este livro é um projeto conjunto com o Centro de Estudos Socias (CES) da Universidade de Coimbra, em Portugal. O terceiro pilar de sustentação do IDESF são os cursos de pós graduação elaborados e promovidos com o IDESF e ESIC Business e Marketing School. Os cursos de Pós Graduação em Planejamento e Gestão Estratégica para as áreas de fronteira, já formaram mais de 100 alunos em 3 edições do curso em Foz do Iguaçu e Cascavel.
Este volume compreende o trabalho em grupo da segunda turma de Foz do Iguaçu, que escolheram temas pertinentes à colocar os temas que a Rosane elencou no projeto do seminário.
No capítulo intitulado “A evolução do uso de veículos em ilícitos transfronteiriços sob a ótica da análise econômica do crime”, os autores demonstram como os criminosos alteram as estratégias delitivas na proporção que os órgãos de segurança pública mudam suas táticas de repressão.
No capítulo 2 “Análise quantitativa de como o crime de contrabando tem influenciado na evasão escolar em Foz do Iguaçu”, discute sobre a influencia do crime do contrabando e sua relação na evasão das escolas estaduais de Foz do Iguaçu.
No tópico 3 “Logística e infraestrutura da cabeceira da Ponte Internacional da Amizade e seu entorno”, é abordado os problemas relacionados ao congestionamento e formação dos gargalos na cabeceira e no entorno da Ponte Internacional da Amizade, no município de Foz do Iguaçu-PR.
O capítulo 4 “Quais os prejuízos à saúde do consumidor de cigarros contrabandeados do Paraguai?”, explana sobre os riscos pelo uso de cigarros contrabandeados, além de apontar o grau de nocividade para a saúde dos consumidores em função do seu uso.
No capítulo 5 “Uma análise da efetividade das políticas públicas para as fronteiras e sua eficiência no combate ao tráfico de armas” é apresentado as políticas públicas na área de segurançca pública para as áreas de fronteiras, em especial para a triplice fronteira, além de demonstrar a efetividade destas políticas para as fronteiras e o resultado obtido no combate ao tráfico de armas.
No último capítulo intitulado “Comparativo de regimes especiais tributários no Paraguai” é realizado um comparativo entre os principais regimes especiais tributários face aos novos investimentos que tem acontecido no Paraguai.
Os temas aqui estudados são apenas um recorte perante a complexidade que são as fronteiras, que apesar das potencialidades e oportunidades se tornam espaços de vulnerabilidade, ofertando dinâmicas muito próprias destas regiões que podem favorecer ao desenvolvimento econômico sustentável, mas também a expansão de atividades ilícitas que tanto prejudicam o crescimento destas áreas.
Em um país com 16.800 quilômetros de fronteira, território tão rico e com potencial nos três níveis estratégicos, para tanto é necessário identificar e implementar ações para o crescimento e o desenvolvimento sustentável, e esse tem sido o desafio do IDESF, de provocar e compartilhar com a sociedade, em especial com nossos alunos e pesquisadores, a realidade e potencialidades das fronteiras brasileira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome