Tema: “Smart cities: Mobilidade, desenvolvimento regional e urbano”

0
92

Parte do conceito de smart cities, ou cidades inteligentes, é o uso estratégico de infraestrutura e serviços de informação e comunicação. No 9o episódio da Série “Debates para o Brasil do futuro”, a Coordenadora-geral de Apoio à Gestão Regional e Urbana do Ministério do Desenvolvimento Regional, Lais Andrade, explica alguns conceitos relacionados a cidades inteligentes e faz reflexões sobre o tema, abrangendo também o que deve ser tendência na área para os próximos anos. Sobre o que define uma smart city, Lais destaca: “Não é a tecnologia em si, mas como se faz uso desses serviços com a integração de vários setores, públicos e privados, como na área de saúde, segurança e transportes”.
Lais também citou exemplos de cidades no Brasil e no mundo que já são consideradas “inteligentes”, de acordo com definições atuais, mas destacou que não apenas grandes metrópoles entram nessa lista. “A cidade inteligente é aquela que ao mesmo tempo se preocupa em fazer uma transformação digital e se compromete a promover o desenvolvimento urbano sustentável. É importante que as administrações adotem recursos digitais porque serão capazes de lidar com uma infinidade de dados e informações e de relações que se estabelecem nesses organismos tão complexos de uma cidade. Existem diversos níveis de cidades inteligentes, mas, em geral, elas devem necessariamente planejar, adotar uma visão de futuro, entender quais são as necessidades daquela localidade e território para ofertar serviços urbanos para atender a população, sempre na perspectiva de tentar reduzir as desigualdades”.

A entrevista está disponível no canal do Youtube e no Spotify do IDESF. Para assistir, é só clicar na imagem abaixo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome