Santana do Livramento (RS) inaugura primeira loja franca

0
337

O Rio Grande do Sul já é o estado com a maior quantidade de free shops em municípios de fronteira. Grupo Miolo inaugura loja franca de vinhos

A instalação das lojas francas em municípios de fronteira caracterizados como cidades gêmeas foi autorizada pela lei 12.723, de 2012 e normatizada em 2018. Desde então, este modelo de negócio está em expansão. Em menos de dois anos, dobrou a quantidade de lojas francas autorizadas a funcionar.
Nesta semana, a Receita Federal do Brasil publicou o Ato Declaratório Executivo (ADE) que autoriza o funcionamento do Almadén Free Shop, uma loja franca de vinhos que pertence à Miolo Wine Group, com exposição e venda dos 120 rótulos do Grupo, cujo valor praticado é aproximadamente 30% mais baixo. Adriano Miolo, Diretor superintendente da Miolo Wine Group, comenta que a ideia de instalação da loja franca faz parte do conceito do enoturismo, “De proporcionar uma nova experiência de consumo aos apreciadores de vinhos. Além disso, também garante uma melhor relação custo-benefício e a praticidade de encontrar todas as nossas marcas num único lugar”. Ele também destaca que a alta tributação e a variação de tributação de bebidas no Brasil tem sido um obstáculo em termos de concorrência com rótulos internacionais e também para o desenvolvimento do mercado interno. “Quanto maior o imposto, mais vantajoso é o descaminho. Os altos impostos são um dos principais desafios do setor”.
O investimento da Miolo Wine Group é de R$ 3 milhões com a geração inicial de 30 novos empregos diretos e uma expectativa de atrair 100 mil visitantes por ano. O novo empreendimento do grupo complementa o enoturismo na região da Campanha Gaúcha, que nos últimos anos tem se destacado no cenário nacional e internacional pela qualidade dos vinhos e espumantes, pelas paisagens e pela indução do turismo naquela região de fronteira. “A Campanha Gaúcha tem um alto potencial de crescimento por conta do destino de turistas que são atraídos pelos free shops de Rivera (UY), pela rota Ferradura dos Vinhedos e agora com o Trem do Pampa, que deverá entrar em operação ainda este ano. Estamos assistindo o que aconteceu no Vale dos Vinhedos e o nosso dever é ajudar neste desenvolvimento, preservando a história da Almadén e do Seival”.
Segundo Luciano Stremel Barros, Presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), “Esta possibilidade de ter as lojas francas de vinho podem ser uma oportunidade para que os vinhateiros da Campanha Gaúcha se valham da legislação e possam experimentar um case onde a tributação é menor. A partir disso, fazer reflexões e levar às autoridades um acompanhamento desses projetos, para que saibam os impactos práticos da indústria nacional, do emprego formal e da geração de renda”. Luciano ainda destaca o quanto os produtores da região, junto a universidades e demais organizações, têm se dedicado a agregar atividades à região fronteiriça da Campanha Gaúcha, e que as lacunas relacionadas a investimentos do setor público, como a infraestrutura de estradas mais acessíveis, aeroportos próximos, etc, tendem a ser resolvidos em breve, conforme se desenvolve esse movimento indutor dos empresários.

O IDESF já publicou

Potencial da fronteira: a indução da vitivinicultura na Campanha Gaúcha

Lojas francas nas cidades gêmeas
Além destas lojas com ADE, também já foram anunciados investimentos em projetos de lojas francas nas seguintes cidades: Santo Antônio do Sudoeste (PR), Dionísio Cerqueira (SC), Ponta Porã (MS), Mundo Novo (MS), Cáceres (MT), Corumbá (MS), Guajará Mirim (RO), Itaqui (RS) e Quaraí (RS).

Foto de capa: Grupo Miolo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome