Alternativas para segurança, defesa e desenvolvimento das áreas de fronteira são apresentadas em Simpósio

0
315

O “3° Simpósio de Defesa Nacional, Fronteiras e Migrações: Estudos sobre ajuda humanitária e segurança integrada”, aconteceu em Foz do Iguaçu (PR) de 21 a 24 de junho e, além do formato presencial, também houve transmissão online, cujos vídeos já passam de 700 visualizações.
As temáticas que fizeram parte dos painéis contemplaram abordagens como a dinâmica de Ilícitos nas fronteiras, segurança hídrica e energética, ilícitos minerais, lavagem de dinheiro e inteligência no combate às redes criminosas, operações na faixa de fronteira, operações interagências, migrações internacionais e segurança das infraestruturas críticas e cibersegurança.
O evento foi patrocinado pela Itaipu Binacional e os organizadores são o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME). Segundo Luciano Stremel Barros, Presidente do IDESF, “O Simpósio é produto de um projeto acadêmico que visa aproximar a academia dos principais atores em segurança e defesa nas áreas de fronteira. Essa interação permite que os pesquisadores tenham contato com a realidade e a partir disso possam mapear os principais desafios para que este ambiente seja cada vez melhorado e que a grande busca pela cooperação e integração possam ter análises e contribuições dos estudiosos da temática”.
Uma das principais palestras contou com a participação do Prof. Dr. Arie Marcelo Kacowicz, da Universidade Hebraica de Jerusalém, que abordou o tema “As consequências não intencionais da paz: fronteiras pacíficas e fluxos ilícitos transnacionais”. Durante as explanações, Kacowicz provocou reflexões como os graus de governança institucional e a vontade política do estado e dos entes estatais em estabelecer controle nas fronteiras.
Tomaz Espósito Neto, Professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e um dos organizadores do evento, destacou as interações provocadas. “O evento permitiu uma excelente troca de experiências e informações entre acadêmicos e profissionais das mais diversas áreas de segurança pública e defesa e também possibilitou pensar em novas formas e novos modelos de fortalecer a segurança e a qualidade de vida da população”.
No dia 24/06, um grupo de trabalho que fez parte do evento reuniu-se para uma visita técnica ao Centro Integrado de Operações Fronteiriças (CIOF), localizado no Parque Tecnológico Itaipu-Brasil. No local, falaram a respeito de cooperações que podem ser realizadas entre as forças de segurança e os pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento com foco no desenvolvimento das regiões de fronteira. Sobre o evento e a visita, o Professor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), Tássio Franchi, finaliza: “O simpósio foi uma possibilidade ímpar de sentarmos à mesma mesa profissionais de diferentes instituições e agências presentes nas fronteiras e envolvidos com a defesa e a segurança nacional”.

As gravações de todas as palestras estão disponíveis no link:
https://www.idesf.org.br/eventos/3sdnfm/

A mesa de abertura do evento foi composta pelo Presidente do IDESF, Luciano Stremel Barros, o Diretor Executivo da PF, Sandro Torres Avelar, o Alm. Paulo Tinoco, Chefe da Assessoria de Informações da Itaipu Binacional, o Superintendente Regional da PF no Paraná, Omar Gabriel Hajj Musse, o Del. Executivo da PF em Foz do Iguaçu, Carlos Eduardo Bianchi, o Chefe do Serviço de Fronteiras (PRF), Marco Antonio Palhano, o Professor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), Tássio Franchi e o Presidente da OAB Foz do Iguaçu, Vitor Hugo Nachtygal. Foto: IDESF

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome