Fórum internacional debate os temas crime organizado, lavagem de dinheiro e criptomoedas

0
266

O “Fórum Internacional sobre cooperação entre Argentina, Brasil, Paraguai e Estados Unidos na luta contra o crime organizado, lavagem de dinheiro e criptomoedas” foi realizado hoje em Ciudad del Este (PY). Os participantes e painelistas debateram tópicos relacionados à digitalização da economia, sistema bancário, organizações criminosas e terroristas, cybersegurança e cooperação internacional.
A Professora do Centro de Estudos Hemisféricos de Defesa no William J. Perry Center, Celina B. Realuyo, que proferiu a palestra de abertura, falou sobre a digitalização das redes ilícitas e a lavagem de dinheiro nas Américas, e explicou que antes da pandemia da Covid-19, já havia registros de crimes relacionados ao narcotráfico e lavagem de dinheiro por meio das criptomoedas, mas, com as restrições em sair de casa e fronteiras fechadas, a prática foi acelerada pela necessidade das organizações criminosas na movimentação de dinheiro. Ela também destacou que as quadrilhas se adaptaram mais rapidamente à digitalização da economia do que os próprios governos. “Como medida para este problema, necessitamos de cooperação interagências para combater a digitalização das redes ilícitas nas Américas”.

Luciano Stremel Barros, Presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF) também participou dos debates e falou sobre as convergências do crime organizado entre Brasil e Paraguai. Além disso, recomendou ações de combate aos crimes, como uma lista vermelha de criminosos para que cumpram suas penas imediatamente após a emissão das ordens judiciais em qualquer um dos países; aumentar o controle sobre o envio e recepção de dinheiro por parte das casas de câmbio e instituições bancárias; estabelecimento de regras claras para o trânsito de capitais entre os países do bloco para prevenir a lavagem de dinheiro proveniente do delito; criação de uma base de dados comum; melhorias no acordo entre a Polícia Federal e a “Dirección de Material Bélico” para o controle de armas e investir em tecnologia de vigilância para as fronteiras.

O evento foi promovido pela Associação de Ex-alunos do Estado do Paraguai e o Centro de Estudos Hemisféricos de Defesa no William J. Perry Center. A gravação das palestras está disponível no facebook da State Alumni Paraguay: https://www.facebook.com/StateAlumni/videos/2201600086644890/

 

Luciano Stremel Barros, Presidente do IDESF, recomendou ações operacionais que poderiam auxiliar no combate ao crime organizado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome