Colóquio põe em pauta a relação entre Brasil e União Europeia

0
305

Preocupação com o desenvolvimento sustentável, manutenção do estado democrático de direito e garantia dos direitos humanos. Os três elementos compõem o pano de fundo para os debates no IV Colóquio sobre Fronteiras e Direitos Humanos na União Europeia e no Mercosul. O evento será realizado entre os dias 01 a 03 de dezembro e é uma Cátedra Jean Monnet, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF) e do projeto “Defesa Nacional, Fronteiras e Migrações: estudos sobre ajuda humanitária e segurança integrada (PROCAD/ Ministério da Defesa e CAPES)”

Com transmissão online gratuita, via canal do IDESF no Youtube, o Colóquio tem objetivo de fortalecer os laços entre as instituições brasileiras e a União Europeia (UE). Nas edições anteriores, temas como direitos humanos, migrações e paradiplomacia tiveram destaque. Nesta quarta edição, estão programados três painéis com os seguintes temas: (Re) visitando as ideias de fronteiras no mundo pós-Covid 19; Perspectivas sobre as relações entre o Brasil e a União Europeia: uma parceria estratégica em (des) construção? e Migrações, refúgios e direitos humanos: abordagens brasileiras e europeias.

Veja programação completa e faça sua inscrição gratuita aqui

“No primeiro dia vamos falar as fronteias, com enfoque no reaparecimento delas; no segundo, a questão da parceria estratégica entre o Brasil e a UE e, por fim, as migrações e os direitos humanos”, destaca o coordenador do evento e professor da UFGD, Tomas Esposito. A partir dos temas centrais, o enfoque será a conjuntura internacional e a forma como essas temáticas se entrelaçam nas questões das fronteiras, dentro do cenário interdependente dos fluxos globais. “Se a pandemia ampliou a consciência dos problemas, está cada vez mais claro que não somos ilhas e as soluções são globais e conjuntas”, reforçou o coordenador.

Esposito destacou que o evento servirá para repensar as relações bi laterais entre Brasil e União Europeia, estremecidas diante da aposta do governo brasileiro em regimes conservadores no cenário internacional e em práticas negacionistas na área ambiental. “A longa tradição de cooperação entre as partes foi afetada pela política confrontacionista, gerando um clima de desconfiança”, afirma o docente, destacando que a União Europeia mantém altos investimentos em projetos no Brasil.

Evento – O IV Colóquio tem entre seus objetivos ampliar as discussões sobre integração regional, fronteiras, direitos humanos e as relações entre o Brasil e a União Europeia. Também fomentar pesquisas sobre a União Europeia e o Mercosul, em especial sobre as temáticas ligadas à cooperação internacional, à integração regional, à promoção da democracia e dos direitos humanos. O evento tem ainda o propósito de difundir conhecimentos sobre a União Europeia, fortalecendo a rede de cooperação e de governança entre as instituições participantes e os convidados do projeto. A iniciativa é financiada pela Comissão União Europeia e tem apoio da CAPES, Ministério da Defesa e IDESF.

Faça sua inscrição gratuita aqui 

Rosane Amadori/Comunicação IDESF/(45)99101-1045

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome