Seminário do IDESF: PRF registra recordes de apreensões nos dez primeiros meses do ano

0
494

Diretor Executivo da Polícia Rodoviária Federal (PRF), José Lopes Hott Junior, no VII Seminário Fronteiras do Brasil

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu 634 toneladas de maconha de janeiro a outubro deste ano, quase o dobro em relação às 322 toneladas apreendidas em todo o ano passado. A atuação da PRF resultou em recordes de apreensões de diversos itens de contrabando que entram pelas fronteiras brasileiras, conforme dados apresentados pelo Diretor Executivo da Polícia Rodoviária Federal (PRF), José Lopes Hott Junior, na noite desta quarta-feira (18), no primeiro painel do VII Seminário Fronteiras do Brasil, realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF).

A apreensão de cocaína ficou em 27 toneladas nos dez primeiros meses de 2020, três a mais do que as 24 toneladas interceptadas em 2019. O total de dinheiro em espécie apreendido, recursos potencialmente empregados em ilícitos, foi de R$ 25 milhões e US$ 2,6 mil, contra R$ 17 milhões e US$ 1,2 mil interceptados no ano anterior. Além desses, itens como armas, cigarros, recuperação de veículos e até a prisão de pessoas também tiveram resultados mais expressivos de apreensões no balanço até outubro, dois meses antes do ano acabar. (veja tabela)

Tabela comparativa da atuação da PRF entre 2019 e 2020

Entre os fatores que justificam os números expressivos, Hott destacou a qualificação dos profissionais, que agora contam com uma universidade corporativa. Também elencou o investimento em tecnologia, a revisão nos mecanismos de governança e o ingresso de 1,7 mil novos agentes, apesar de afirmar que essa não foi a proporção de aumento do efetivo, pois boa parte dos novos policiais supriu vagas em aberto na corporação. “Houve uma modificação da percepção da sociedade em relação a atuação do policial. Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal são instituições com alto índice de aprovação, o que se reflete na motivação dos policiais”, ressaltou.

Hott participou do painel ‘Mercados Ilegais – análise de vulnerabilidades nos diferentes modais’, juntamente com o Ex-Secretario de Fronteras e Ex-Senador de Buenos Aires, Luíz Green, e o Ex-Jefe III-Operaciones del Comando Operacional Conjunto de las FFAA Argentinas e Profesor de la Universidad del CEMA, César Julio Recalde. Em participação especial, na abertura do seminário, o Secretário de Assuntos de Defesa e Segurança Nacional/GSI da Presidência da República, Major Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita, fez menção às apreensões recordes, o que “demonstra maior eficiência dos mecanismos de repressão”.

O VII Seminário Fronteiras do Brasil está sendo transmitido gratuitamente via Youtube do IDESF. Na noite desta quinta-feira (19), o tema do painel foi “Segurança integrada de fronteiras”. Nesta sexta à noite, o terceiro e último painel do evento debate o tema “Presente e futuro – perspectivas de desenvolvimento”.

Participam como palestrantes o Diretor Executivo da Miolo Vine Group, Danilo Cavagni, com a palestra ‘O Vinho integra fronteiras’; o consultor em importação, exportação, regimes aduaneiros especiais e lojas francas, Oscar Bentacourt, sobre ‘As lojas francas e a mudança do cenário econômico das regiões fronteiriças’, e Secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Foz do Iguaçu, Gilmar Piolla, com o tema ‘Projetos para desenvolvimento de fronteiras’.

Programação completa: https://www.idesf.org.br/eventos/vii-seminario-fronteiras-do-brasil/

Serviço:

  • VII Seminário Fronteiras do Brasil
  • Data e horário: 18 a 20.11, das 18h30 às 22h
  • Transmissão: Youtube do IDESF, com acesso gratuito
  • Inscrições: www.idesf.org.br

Rosane Amadori/Assessoria de Comunicação IDESF/(45) 99101-1045

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome