(Re)Definições de fronteiras: velhos e novos paradigmas

5
4593

Fomentar e criar espaços para o debate, discussão e, consequentemente, alternativas aos problemas inerentes às fronteiras certamente faz parte das prioridades do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF). E é justamente neste sentido que “(Re)Definições das Fronteiras: velhos e novos paradigmas” vem dar continuidade a este projeto.

Interdisciplinaridade, complexidade, transnacionalidade. Todas estas difíceis palavras fazem parte do cotidiano das fronteiras. Ao buscar escrutinar as distintas vicissitudes das fronteiras, abarcando concepções de diversas naturezas, é notória a necessidade de se conceber fronteiras à partir de vários níveis. Neste aspecto, a presente obra trabalha os mais variados temas relacionados às fronteiras, sendo não exclusivamente dedicada a América do Sul, incluindo a Europa e América do Norte em suas análises.

A presente obra conta com a essencial colaboração de professores, pesquisadores e atuantes (públicos e privados) nacionais e internacionais. Diferentes visões e perspectivas que contribuem para esta contínua e permanente busca pelas definições das fronteiras.





5 COMENTÁRIOS

  1. As fronteiras tem quer mais vigiadas….definidas adequadamente…. tráfico de drogas e de gente … interesses políticos detrimento de muitos

    • As fronteiras têm que ser vigiadas e têm que ter projetos de desenvolvimento, de modo que o envolvimento das pessoas que nela vivem seja com projetos lícitos de geração de renda para não cair na tentação dos ilícitos. Abç

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome