Elevar impostos pode aumentar o mercado ilegal, diz presidente do IDESF

0
215

Na esteira da discussão da Reforma Tributária, o Governo Federal declarou a intenção de criar novo tributo sobre produtos como bebidas, doces, refrigerantes e cigarros. Segundo o ministro Paulo Guedes, seria algo como sobretaxar produtos tanto para elevar a arrecadação como para desestimular o consumo, uma vez que os produtos são considerados fatores geradores de problemas de saúde e que com a redução haveria menos demanda de investimentos públicos na área, futuramente.

A intenção é inserir a sobretaxa na proposta de Reforma, em discussão no Congresso Nacional. Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), Luciano Stremel Barros, elevar a tributação pode ser um ‘tiro no pé’ uma vez que poderia gerar maior apelo para o contrabando de produtos do gênero falsificados. “Corremos o risco de ter a dominação do mercado ilegal”, afirmou Barros, em entrevista ao jornal Gazeta do Sul (RS).

Para o jornal gaúcho, Barros também lembrou que o mercado ilegal desses produtos tem atraído as quadrilhas organizadas anteriormente em torno do contrabando de armas e de drogas.

Sobre o IDESF – O IDESF é uma instituição sem fins lucrativos, com sede em Foz do Iguaçu (PR), fundada com objetivo de criar mecanismos para promoção da igualdade e da integração entre as regiões de fronteira, para o fortalecimento das relações políticas, sociais e econômicas e para o combate aos problemas próprios destas regiões, por meio de estudos, ações e projetos e através de parcerias públicas e privadas.

Rosane Amadori – Assessoria de Comunicação IDESF

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome