Paraguai terá representante em Centro de Inteligência brasileiro

    0
    154
    Brasília – O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ofereceu ao Paraguai indicar um representante para atuar como ponto focal no Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF), que opera em Foz do Iguaçu (PR). O tema foi tratado nesta segunda-feira, 3, em Assunção, em reuniões que o chanceler manteve com seu homólogo, Antonio Rivas Palacios, e o presidente Mario Abdo Benítez.

    Araújo destacou que os temas de segurança e defesa, tendo o combate aos ilícitos transnacionais como prioridade, unem os dois países “e requerem que trabalhemos juntos contra o crime organizado, o narcotráfico e o terrorismo”, afirmou. Neste sentido, reiterou a importância da criação do Centro Integrado de Operações de Fronteira. “O Brasil está convidando o Paraguai para fazer-se representar neste centro. Nos parece que será um passo de grande importância para a cooperação contra o crime”, defendeu.

    O Brasil, através da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), mantém oficiais no Paraguai desde o final de 2016, que trabalham na estruturação do serviço de inteligência civil daquele país. O Paraguai também integra, no Rio de Janeiro, o Centro de Cooperação Policial Internacional (CCPI) que funciona na Superintendência da Polícia Federal.

    Itaipu

    As negociações do chamado Anexo C do Tratado de Itaipu também mereceram a atenção dos ministros Araújo e Rivas. Enquanto o Paraguai já tem sua equipe negociadora trabalhando desde o ano passado, o Brasil ainda não definiu nomes nem estratégias. No entanto, os dois países pretendem iniciar as negociações ainda neste semestre e concluí-las até o final de 2021. Por outro lado, está praticamente definida a criação da Comissão Binacional de Contas, que irá tornar mais transparentes os números da empresa.

    Os dois também conversaram sobre os resultados obtidos pelo Comando Tripartido na Tríplice Fronteira, integrado por Argentina, Brasil e Paraguai, e do Comando Bipartido, entre Brasil e Paraguai, na fronteira de Ciudad del Este e Foz do Iguaçu. Os dois países querem agora, criar mais um comando entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã (MS).

    Antonio Rivas revelou ainda que, a partir de 2021, o Brasil passará a ser o principal país investidor no Paraguai com a instalação da empresa Ômega Green, que irá produzir biodiesel ecológico. Para as obras de construção da planta industrial, que terão início em março, foram investidos US$ 800 milhões.

    Por: Marcelo Rech

    Fonte: http://www.inforel.org/paraguai-tera-representante-em-centro-de-inteligencia-brasileiro

     

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Digite seu comentário
    Digite seu nome