Visita técnica: modelo do sistema prisional catarinense pode ser replicado em outros estados

0
365

A penitenciária da Região de Curitibanos, em São Cristóvão do Sul, é a única unidade de detenção do País onde 100% dos presos trabalham. Com 928 detentos, a penitenciária foi a primeira parada da visita técnica realizada por 47 representantes do sistema prisional de diversos estados brasileiros, entre eles o diretor de Relações Institucionais e Empresariais do IDESF, José Elias Castro Gomes.

A visita está sendo organizada pela Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania de Santa Catarina e teve participação do diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Fabiano Bordignon, e de dez secretários de estados. O objetivo é apresentar o sistema da administração prisional catarinense, considerado exemplo de atividade laboral penitenciária dentro e fora do País.

“O sistema está bem organizado e pode ser replicado em outros estados. De fato, um exemplo a ser seguido e perfeitamente viável para redução de pena e ressocialização dos detentos”, avaliou o diretor do IDESF depois da visita. Segundo Gomes, muitas indústrias contratam os presidiários depois do cumprimento da pena. “É um modelo onde todos saem ganhando: o sistema prisional, os presos e a sociedade”, destaca o dirigente.

Atualmente, aproximadamente 31% dos presos catarinenses trabalham, sendo que a meta é chegar a 60% nos próximos anos. O trabalho dos detentos em Curitibanos é garantido por meio de convênio com 14 empresas e, além de trabalhar, 552 detentos estão estudando.

A visita continua nesta terça-feira (26), no Complexo Penitenciário de Chapecó. O presídio tem 2,2 mil detentos, sendo que desses, 862 estão trabalhando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome