Mudanças na chefia da PF em Foz do Iguaçu destaca delegados que atuam na região

0
184

O delegado Mozart Person Fuchs (foto da dir.) assume nesta quinta-feira (20) a chefia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu. A solenidade de troca de comando acontecerá às 15h, na sede da PF, e terá a presença do superintendente regional da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo.

Primeiro iguaçuense a assumir o posto, Mozart foi aluno da pós-graduação em Gestão em Ciência Política, Estratégia e Planejamento com Ênfase em Fronteiras, oferecido pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), em parceria com a Esic – Business & Marketing School e a Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg).

Fuchs iniciou a carreira como delegado em 2008, em Cascavel (PR), onde exerceu a função de chefe substituto até 2014, quando foi transferido para a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu e passou a exercer o cargo de chefe da Delegacia-Executiva de Foz do Iguaçu a partir de 2015. Entre 2001 e 2002, na condição de estudante de Direito, Fuchs foi estagiário na delegacia que passará a chefiar agora.

O novo delegado-chefe vai ocupar o lugar Fabiano Bordignon, que igualmente merece reconhecimento dos iguaçuenses não só pelo trabalho executado na chefia local, mas também porque em janeiro assume o comando do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), na equipe de Sérgio Moro, em Brasília.

Bordignon também foi aluno e hoje é professor da pós-graduação do IDESF e teve uma atuação marcante à frente da delegacia, onde foi representante brasileiro no comando Tri-partite, órgão criado para promover a integração das forças policiais dos três países, com ações como o descortinamento de quadrilhas e a prisão de criminosos transfronteiriços. Bordignon também entregou para a sociedade a nova sede do Núcleo Especial de Polícia Marítima (Nepom) no Rio Paraná, próximo à Ponte da Amizade.

Dois profissionais competentes e íntegros, aos quais o IDESF tem muito orgulho de ter tido no seu corpo de alunos e docentes e aos quais deseja muito êxito no propósito que lhes é naturalmente atribuído pela profissão, de contribuir para um Brasil melhor de se viver.

Assessoria de Comunicação IDESF / Rosane Amadori

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome